Dicas de limpeza e organização

Veja os valores para sua cidade

Colchão: quando lavar ou comprar um novo?

Publicado em: sexta-feira, setembro 29, 2017Colchão

Inscreva-se em nosso canal no YouTube


De mola, espuma, com diferentes densidades e tamanhos. Cada pessoa se sente confortável em um tipo, mas o certo e unânime é que o colchão deve atender às nossas expectativas de bem-estar, já que passamos um terço das nossas vidas sobre ele.

O uso prolongado de um colchão ruim, inadequado ou mal cuidado pode causar uma série de problemas de saúde, desde leves dores nas costas até consequências mais graves.

Quem nunca acordou ainda mais cansado depois de uma noite angustiante em um colchão desconfortável? Saiba como dormir melhor e cuidar bem de um dos maiores parceiros da sua vida!

Qual o tipo de colchão mais adequado?

Segundo dados do IBGE, uma pessoa que completou 71 anos de idade passou 23 deles dormindo. Parece muito tempo, mas é o volume ideal de descanso para repormos nossas energias e atividades diárias.

Para conseguirmos ter um sono realmente renovador, escolher o colchão correto é essencial. Nosso peso e altura influenciam diretamente na escolha da densidade, que é a firmeza da espuma – o que efetivamente dá sustentação ao nosso corpo.

O ortopedista Ivan Rocha ressalta que colchões muito duros causam tensão muscular e a coluna se entorta. Já quando o colchão é muito mole, quadris, ombros e coxas não encontram sustentação, “isso também provoca desvios”, afirma o Doutor.

Na hora de comprar, não sinta vergonha de experimentar o colchão,  é preciso deitar nele e testar o nível de conforto oferecido. Lembre-se que poderá passar muitos anos com o novo produto, então a escolha deve ser bastante acertada.

Se você divide a cama com alguém, leve seu parceiro até a loja e façam a escolha juntos. O produto deve agradar aos dois, igualmente, e ser de alta qualidade. Observe se ele afunda com facilidade, se as bordas deformam e se o material causa qualquer desconforto.

Para escolher a densidade correta, leve em consideração as seguintes medidas (relação densidade X peso corporal):

  • D28: Até 80 kg;
  • D33: Até 100 kg;
  • D45: Até 120 Kg;
  • D60: ideal para quem mais de 140 kg;
  • D90: suporta até 200 kg.

As medidas referem-se aos colchões de solteiro. Para casal, pode-se considerar o dobro de peso em cada uma.

Colchão ortopédico, de molas ou espuma?

colchão de mola

Além do conforto, a compra de um novo colchão deve avaliar o tipo de: espuma, molas ou ortopédico. O de espuma normalmente é mais flexível e dura menos, enquanto o de molas é mais resistente. Já o ortopédico alia a boa sustentação do corpo com a flexibilidade e conforto. Cada pessoa se adapta melhor a um tipo e também realiza a compra de acordo com suas condições.

Confira algumas dicas que podem te ajudar a escolher:

  • Experimente o colchão e avalie a densidade das espumas de acordo com valores da tabela anterior;
  • Sempre tenha em mente o custo/benefício: não precisa comprar o mais caro, mas economizar demais pode acarretar custos com médicos mais à frente;
  • Colchões de mola acomodam melhor os quadris e os ombros e são os mais indicados para casais que têm grandes diferenças de peso;
  • Os de espuma têm durabilidade de até cinco anos, os de mola, dez;
  • Colchões ortopédicos podem ser feitos de duas formas, com espuma de memória – aquela que se deforma quando está sob estrema pressão, absorve a energia dos impactos e depois retorna à sua forma original, desenvolvida pela NASA, também é chamada de “viscoelástica” e “de alta densidade”. Ou então de outro jeito, feito com a caixa de madeira, uma estrutura revestida com camadas de espuma que proporciona maciez e mais conforto;
  • O colchão ortopédico é ideal para prevenir dores e desconfortos e pode ser usado por qualquer pessoa.


Sabe aquelas tosses que nunca acabam?

Você já passou por médicos, tomou remédios e isso não passa? Talvez seu problema é outro..

Diariamente nos deitamos no sofá para relaxar. É revigorante não é? Mas, esse mesmo estofado pode te prejudicar pois, ao longo do tempo, poeira, restos de pele e suor ficam sobre sua superfície. Adicione vários ácaros que se alimentam desses resíduos. Só 1g de poeira pode abrigar milhões deles! Essa pode ser a verdadeira causa das tosses. Mas a guerra não está perdida!

Saiba GRATUITAMENTE quantos ácaros que rondam sua casa. Nós desenvolvemos uma calculadora para usar sempre que quiser. Calcule e dê os primeiros passos para viver em um ambiente mais saudável!


Quais problemas o colchão errado pode causar?

Segundo dados do Ministério do Trabalho, a dor nas costas é a principal causa de afastamento do trabalho. Somente em 2016, mais de 116 mil pessoas precisaram se ausentar do emprego por pelo menos duas semanas em decorrência desse tipo de dor. O número representa 4,71% do total de todos os afastamentos do último ano.

Além das dores, uma noite mal dormida pode trazer uma série de problemas para a sua saúde. Reunimos aqui os principais deles:

1.       Dores musculares e problemas na coluna

Um colchão ruim afeta a posição da coluna durante o sono, o que resulta em uma série de problemas estruturais que causam dores nas costas e podem irradiar outras partes do corpo, atingindo músculos e ossos. Entre as doenças mais sérias estão a cifose, lordose e escoliose.

2.       Estresse e ansiedade

Dormir pouco ou mal pode aumentar os índices de ansiedade e depressão. Um estudo australiano identificou que o risco de estresse aumenta em 14% a cada hora perdida e jovens que dormem apenas seis horas por dia tem o dobro de chances de desenvolver esses problemas do que aqueles que dormem oito horas.

Noites bem dormidas equilibram o corpo e a mente e ajudam a regular o trabalho cerebral.

3.       Doenças cardiovasculares

Sabia que um colchão ruim também pode afetar seu coração? Durante o sono, nosso organismo libera os hormônios que são responsáveis por regular o sistema cardiovascular, o que permite o bom funcionamento do coração e vias por onde o sangue circula, diminuindo o risco de doenças. Se não dormimos bem, essa função fica comprometida.

Ou seja: dormir bem, além de ser extremamente revigorante, diminuí as chances de apresentar arritmia, infarto do miocárdio e ataque cardíaco.

4.       Sobrepeso e obesidade

Mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo sofrem com obesidade e sobrepeso. A má alimentação e o sedentarismo são as principais causas, mas dormir mal também contribui para agravar um dos principais males do século.

O sono ajuda a regular nosso metabolismo e funções endócrinas, por isso, a insônia ou mesmo o colchão ruim pode refletir em dificuldade para emagrecer e aumentar nosso risco de desenvolver obesidade. Além disso, dormir mal aumenta o apetite. Mais peso na conta da insônia!

5.       Distúrbios do sono

Insônia, agitação e incapacidade de relaxar durante a noite. Os distúrbios do sono podem causar doenças graves que prejudicam bastante a saúde.

Resolver esse problema é bem simples: esteja atento à qualidade e ao prazo de validade do seu colchão, garantindo que possa dormir tranquilo a noite toda.

6.       Alergias e doenças respiratórias

Sua respiração também pode ser danificada se o colchão não estiver bem cuidado. Quando mal armazenados e sem manutenção, eles podem acumular mofo, resíduos e pragas, sendo responsáveis por alergias naqueles que o utilizam.

Entre as principais doenças apresentadas destacam-se asma, rinite e alergia cutânea. Para evitar a manifestação desses problemas, limpe o colchão de forma regular, pelo menos uma vez por ano, solicite serviços profissionais para cuidados especializados.

A impermeabilização, por exemplo, é bastante eficaz para protegê-lo da umidade, criando um ambiente inóspito para a proliferação de ácaros e bactérias. Na Dr. Lava Tudo o serviço é feito por profissionais treinados e conta com 12 meses de garantia.

Qual a hora certa de trocar o colchão?

Os colchões também têm data de validade e devem ser trocados de tempos em tempos para garantir sua saúde e bem-estar. Produtos de qualidade têm entre cinco e dez anos de vida útil, mas algumas marcas e modelos podem durar até 20 anos!

A recomendação geral é que a troca – desses colchões que a maioria das pessoas costuma ter em casa – seja feita, em média, a cada sete anos. Mas você pode observar alguns sinais para ver se já está na hora de adquirir um novo.

Se ele estiver rasgado, desnivelado, com molas aparecendo, ele precisa ser substituído. Se você ou seu parceiro ganharam volume considerável de peso também é recomendado avaliar se é possível continuar usando o colchão atual ou trocar por um com maior densidade e de outro tipo de material.

Excesso de dores, princípio de alegria e noites mal dormidas também revelam a necessidade de substituição.

Cuidados essenciais podem ajudar a prolongar o tempo de uso

limpeza de colchão

Quer fazer seu colchão durar mais tempo? Cuidados básicos vão te ajudar a prolongar a vida útil desse produto tão importante em nossas vidas.

  • Vire-o de posição na cama a cada 15 dias, evitando pressão excessiva em um único local.
  • Nunca dobre ou enrole seu colchão, pois isso danifica a sua estrutura.
  • Cama não é brinquedo: não deixe as crianças transformarem seu colchão em pula-pula.
  • Use capas especiais para evitar fungos e bactérias.
  • Por fim, mantenha-o sempre limpo. Faça higienização constante e solicite serviços profissionais sempre que necessário. A Dr. Lava Tudo indica que você limpe o seu colchão a cada 6 meses ou, no máximo, anualmente. Dessa forma, você mantém o colchão em bom estado por mais tempo e evita dispender muito dinheiro na troca.

Já deu para perceber que com o colchão não se pode brincar, não é mesmo? É necessário estar atento ao seu tempo de uso, aos sinais de desgaste e mantê-lo limpo.

A Dr. Lava Tudo entende a importância de uma boa noite de sono e vai te ajudar a cuidar do seu colchão. Clique aqui e baixe um cupom de desconto para usar no seu primeiro serviço conosco. Vai perder essa?