Dicas de limpeza e organização

Veja os valores para sua cidade

Corino ou couro: diferenças, tipos e dicas de limpeza e conservação!

Publicado em: quinta-feira, janeiro 11, 2018couro-corino

Inscreva-se em nosso canal no YouTube


Na hora de escolher sofás, poltronas, cadeiras, ou personalizar bancos dos carros, o revestimento é uma parte muito importante e vai influenciar diretamente no conforto, manutenção e durabilidade da peça. Hoje falaremos sobre as opções em couro e corino disponíveis no mercado, mostrando como diferenciar o couro legítimo dos materiais sintéticos e como deve ser o processo de manutenção de cada um.

Corino ou couro: quais as características de cada um

 

Embora sejam parecidos, o corino e o couro apresentam diferenças na sua constituição. Para saber identificar cada tipo e não fazer confusão na hora da compra, algumas dicas podem ajudar a distinguir o revestimento natural do sintético.

 

Couro legítimo

 

couro-corino1

 

O couro é o tecido constituído de pele animal e que tenha passado por processo químico de curtimento. O uso da palavra couro em materiais que não sejam de origem animal é proibido – embora bastante comum.

Por ser proveniente de peles, cada couro é único e proporciona a criação de peças exclusivas que, se bem cuidadas, podem durar mais de 100 anos.

Costuma ter quatro tipos de origem: bovina (vacum), suína, cabras (caprino), e ovelhas e carneiros (ovino).

 

Corino

 

corino

 

O corino é um tecido que imita as características do couro, porém não é de origem animal. A base é de tecido 100% algodão, composto de 70% de PVC, 25% de poliéster e 5% de poliuretano.

Possui uma variedade enorme de acabamentos, liso ou em textura, com a possibilidade de tingimento ou várias cores ou mesmo com estampas. O verso do corino apresenta um material semelhante à lã e é um tecido de baixo custo em relação ao couro legítimo.

 

E os outros tipos de “couro” sintético?

 

Com certeza você já viu no mercado algum produto etiquetado como couro sintético. Porém, esse é um termo incorreto. Como já foi dito anteriormente, couro é apenas o material de origem exclusiva de animais.

Além do corino, existem outros tecidos sintéticos que imitam a aparência do couro, mas são produzidos com fibras e livres de qualquer tipo de pele animal. Com o tempo eles podem se esfarelar e ter toda a estrutura comprometida, por isso é preciso ficar ainda mais atento aos cuidados de manutenção.

Veja outros tipos de tecidos sintéticos que imitam o couro:

 

Poliuretano (PU)

 

Dentre as opções disponíveis no mercado, o PU é o que tem aparência mais próxima à do couro. A malha do verso é parecida com uma sarja e o sintético com custo mais alto. Também deve ser muito bem cuidado para evitar que sua estrutura fique “craquelada” ao longo dos anos.

 

Polivinílico

 

Os tecidos de polivinílico têm compostos que lembram o vinil. Isso possibilita a entrega de acabamentos bastante originais, com texturas únicas. Esse tipo de material é muito utilizado na indústria automotiva, para a confecção de revestimentos dos bancos.

 

Como identificar se o couro é mesmo legítimo?

 

A lei Nº 4.888/65 determina que, no Brasil, apenas os tecidos de origem animal podem ser chamados de couro. Os tecidos de couro legítimo possuem uma textura específica, com deformidades, e são impermeáveis.

A durabilidade é uma de suas principais características, por isso apresentam valor de custo mais alto.

O cheiro particular do couro, que é bem diferente de outros materiais, também ajuda a identificar a legitimidade do produto.

Além disso, ele raramente sofre com deformações ou perde seu aspecto natural e ainda resiste a altas temperaturas.

 

Lei do Couro

 

Com base na legislação vigente, o Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) promove a Lei do Couro.

Essa é uma iniciativa que atua no mercado de produção e vendas com o objetivo de coibir o uso incorreto do termo “couro” e educar sobre as verdadeiras propriedades do couro legítimo.

A CICB também monitora quem está infringindo a lei; adverte e retira das prateleiras os produtos com comunicação errada; e busca estabelecer parcerias que ajudem a difundir a proposta.

 

Identifique o couro legítimo em 4 passos

 

Na hora de comprar o sofá novo, peças de roupas ou escolher o revestimento do seu próximo veículo você pode optar entre o couro, o corino ou outros tecidos sintéticos. Se a sua escolha foi o couro, veja como verificar a sua originalidade em 4 passos:

  1. Sinta toda a superfície. Quanto mais uniforme for, maior a possibilidade do tecido ser sintético, já que o couro possui padrões irregulares.
  2. Teste a elasticidade. O couro original é mais flexível que os outros materiais.
  3. Verifique a etiqueta e confira os componentes do produto. Se não houver nada de origem animal, aquele não é um couro legítimo.
  4. Cheire o produto. Como já descrito, o couro tem um cheiro bastante singular, que permanece impregnado na peça mesmo após os tratamentos industriais.

 

Couro sintético e couro ecológico são a mesma coisa?

 

couro-ecologico-corino

 

Muita gente confunde as duas coisas, mas os couros sintéticos e ecológicos são materiais diferentes, com composição e processos de tratamento distintos.

Enquanto os sintéticos são fabricados com fibras e agentes químicos, os ecológicos são aqueles que utilizam matéria-prima animal, mas são tratados em um processo de curtimento menos nocivo ao meio ambiente.

Enquanto o processo original leva cromo, o ecológico é curtido com taninos – que têm origem natural. Isso propicia um couro com poros mais abertos e, consequentemente, mais propensos a apresentarem marcas de uso.

Há, ainda, o recouro, que combina sobras da indústria do couro látex e agentes naturais, criando um material similar ao original e com a vantagem de ser mais sustentável.

 

Aprenda a cuidar dos produtos de couro

 

limpeza-corino

Uma roupa ou sofá fabricados com couro podem durar anos. Para isso, será necessário fazer a manutenção e limpeza correta das peças. Por ser, basicamente, um tipo de pele animal, ele precisa passar por hidratação frequentemente, evitando ressecamentos e a perda do brilho original.

O cuidado com esse tipo de material deve ser periódico e levar em consideração as características próprias de sua constituição, usando apenas produtos específicos para a sua limpeza.

 

Conheça a composição do produto

 

A lavagem e hidratação deve levar em conta o tipo de couro. Por exemplo, se ele não recebe nenhum corante em sua composição, você pode fazer a limpeza com uma mistura de álcool e água, e hidratante de couro.

Já no caso da camurça, o mais indicado é fazer um serviço profissional de impermeabilização, pois a água pode estragar o material. No dia a dia opte apenas pela limpeza com aspirador de pó.

Se o couro for liso, uma solução de água, álcool e sabão neutro conseguem um bom resultado.

 

Use os produtos adequados

 

É muito importante evitar o uso de hidratantes e cremes que temos em casa para uso pessoal. A pele humana é muito mais fina e suave exigindo compostos diferentes para o seu cuidado.

A utilização desse tipo de produto no seu sofá (ou qualquer outro item de couro) pode deixa-lo engordurado e transformar o móvel no ambiente ideal para o crescimento de ácaros, fungos e bactérias.

Outro cuidado é pesquisar bem os produtos de limpeza e verificar para quais materiais eles são indicados. Além disso, faça o teste em uma pequena área antes de realizar a limpeza completa. Assim você evita a possibilidade de danos maiores.

Veja receitas caseiras e aprenda a cuidar dos seus pertences no guia definitivo de limpeza de couro da Dr. Lava Tudo.

 

Como fazer a limpeza do corino?

 

Por ser um material plastificado, a limpeza e higienização do corino é muito simples e pode ser feita com um pano úmido e sabão neutro.

Aplique o sabão em uma esponja limpa e umedecida e limpe a superfície do sofá, banco ou peça de roupa. As manchas mais difíceis devem ser esfregadas em movimentos circulares. Retire o sabão e espuma com o pano.

Com um pouco de algodão e álcool você ainda consegue retirar as manchas mais persistentes. Mas lembre-se de secar bem para que o corino não fique com resíduos. Esse material não precisa de hidratação.

Água diretamente sobre o tecido deve ser evitada ao máximo, bem como altas temperaturas. Assim, na hora de secar o sofá, ou mesmo as roupas, evite secadores muito quentes ou longas exposições ao sol.

 

Manutenção de couro e corino: dê preferência à limpeza profissional

 

Quem quer manter o estofado de couro ou corino mais bonito e com as características originais por mais tempo deve optar pelos serviços profissionais de limpeza.

As empresas especializadas conhecem a composição e restrição de cada material e sabem qual o melhor processo para higienizar tanto o couro legítimo quanto o corino e outros tecidos sintéticos.

Na Dr. Lava Tudo, a limpeza dos sofás, bancos de carros, cadeiras e outros móveis a base de couro e corino não leva água e não utiliza máquinas de sugar, preservando ainda mais o material.

Durante a aplicação dos produtos responsáveis pela eliminação de sujeiras, o técnico utiliza luvas de lã, que são específicas para o contato mais suave com o tecido. O estofado recebe a aplicação de um protetor ultravioleta, protegendo contra os danos provocados por raios solares. No caso do couro, também é feita aplicação de um hidratante especial.

Evite manchas e procedimentos que podem danificar seus móveis. Conheça os serviços da Dr. Lava Tudo e garanta limpeza de qualidade e profissional. Faça uma simulação online e veja como é simples contratar. Leva menos de um minuto.