Dicas de limpeza e organização

Veja os valores para sua cidade

Como lidar com mofo e bolor no inverno? 10 dicas para ficar livre desses fungos

Publicado em: sexta-feira, maio 11, 2018mofo-alergia-inverno

Inscreva-se em nosso canal no YouTube


As temperaturas já estão baixando e, em breve, começa o inverno. Com ele, as alergias e doenças respiratórias. Para deixar seus dias frios mais confortáveis, separamos 10 dicas de como lidar com mofo no inverno e manter as crises alérgicas longe.

Afinal, a previsão é de que a estação seja um pouco mais fria do que no último ano, com tardes nubladas e clima mais chuvoso.

Embora muita gente adore essa época, alegando que essa é uma estação romântica e que deixa as pessoas mais bonitas, para quem é alérgico, o frio é sinônimo de crises e contas astronômicas na farmácia. Por isso, não perca nossas dicas!

 

Por que o mofo piora no inverno?

 

O bolor é um fungo filamentoso, que adquire aspecto esbranquiçado, esverdeado ou acinzentado sobre os locais em que está se desenvolvendo e que decompõe matéria orgânica.

Em épocas mais frias, a maioria das pessoas tem o hábito de manter portas e janelas fechadas, na tentativa de deixar a casa mais quentinho. Mas o aquecimento da casa vem acompanhado de problemas.

Embora o fungo do mofo esteja presente em nossa casa o ano todo, ele só se prolifera quando encontra o ambiente perfeito. E você sabe qual é o cenário preferido desses microrganismos? Justamente locais escuros e úmidos. Por isso a ocorrência de mofo é maior durante o inverno.

Confira como prevenir bolor e mofo e proteja sua família.

 

Que tipo de problemas o bolor pode provocar?

 

Nem sempre a casa quentinha é sinônimo de dias confortáveis e preguiçosos durante o inverno. Manter o seu lar com janelas sempre fechadas pode provocar uma série de problemas.

Confira as principais consequências do mofo:

 

Danifica a aparência das paredes

mofo parede

O mofo e a umidade são inimigos de paredes bonitas e com acabamento bem-feito. Quando os fungos começam a se alastrar deixam manchas escuras por todo o revestimento. A umidade ainda provoca bolhas na pintura, que podem começar a descascar e fazer todo o reboco cair.

Dependendo do quanto o bolor cresceu e afetou a estrutura da parede, pode ser necessário fazer raspagem ou mesmo uma reforma em toda a casa.

 

Prejudica a estrutura dos móveis

 

Os móveis que ficam perto das paredes também são afetados. O mofo pode ficar somente sobre a camada superficial desses objetos ou estragar toda a estrutura, sem recuperação.

 

Estraga roupas e estofados

 

O mofo ainda afeta as roupas e estofados. As peças que ficam guardadas no guarda-roupa, especialmente os casacos de inverno ou as roupas de festa que são pouco usadas, sofrem com esse problema, ganhando manchinhas escuras e odor característicos de fungos.

No sofá e no colchão, o problema acontece quando esses itens ficam encostados na parede ou em cômodos com pouca ventilação.

Tanto na roupa quanto nos estofados há casos em que uma simples limpeza resolve a situação. Mas também há peças tão danificadas que precisam ser descartadas.

 

Provoca rinites, alergias e outros problemas respiratórios

 

mofo alergia

Um dos principais problemas do mofo são os problemas de saúde que ele provoca. Mesmo quando não é possível sentir o cheiro, a presença do bolor na casa é suficiente para iniciar quadros de rinites, alergias e outras doenças respiratórias, tão comuns no inverno.

 

Provoca Síndrome do Edifício Doente

 

A Síndrome do Edifício Doente (SED) é uma definição da Organização Mundial da Saúde que caracteriza prédios com condições ruins para a saúde de seus ocupantes, provocando alergias, tosse, irritação nos olhos e dores de cabeça.

Sabe quando você entra em um edifício e imediatamente começa a sentir esses sintomas? Esse, provavelmente, é um edifício doente. Os grandes vilões são o ar condicionado, poeira, substâncias tóxicas que circulam no ambiente e o mofo.

Veja, aqui, mais informações sobre o bolor e aprenda como identificar esse problema na sua casa.

 

10 dicas para lidar com mofo e bolor no inverno

 

Para quem quer ficar livre de todos esses problemas e garantir uma casa limpa e saudável, alguns cuidados simples são essenciais.

Veja como lidar com mofo e bolor no inverno (e em outras estações do ano):

 

1.      Faça uma faxina no armário, separando as peças infectadas pelo mofo

 

O frio chegou e está na hora de usar seus casacos preferidos. Antes de pensar nas melhores combinações, faça uma super faxina no seu armário, para não sair por aí com cheiro de mofo.

Tire todas as peças do guarda-roupa e faça uma triagem entre as peças que estão apenas com cheiro de mofo, as que estão visualmente afetadas e as que foram muito danificadas.

As primeiras devem ser arejadas por 24 horas; as segundas devem ser lavadas; e as que estão estragadas devem ser descartadas.

Antes de voltar tudo para o lugar, faça uma limpeza usando solução de vinagre e água. Além de tirar o mofo já existente, ajuda a evitar que o fungo volte a crescer nesse lugar.

Aprenda a tirar manchas de bolor com seis dicas fáceis e receitas caseiras!

 

2.      Limpe o armário com frequência

 

Para garantir que as suas roupas vão ficar novas o ano todo, faça a limpeza com vinagre pelo menos uma vez por mês.

Sempre que possível, deixe as portas abertas e movimente as roupas, facilitando a circulação de ar no interior dos armários.

Além disso, verifique com frequência o estado das roupas e inclua as peças de inverno da rotina de lavagens durante o ano inteiro.

 

3.      Guarde roupas e sapatos de forma adequada

 

Muita gente tem o costume de armazenar as roupas e sapatos que não são usados no dia a dia em caixas ou sacos plásticos.

Essa não é a melhor forma de guarda-las, já que o plástico veda a circulação de ar e pode ter i efeito inverso ao desejado, estragando as roupas.

O ideal é deixar as roupas em capas de TNT e os sapatos em caixas com entrada de ar.

 

4.      Aumente a circulação de ar em todos os cômodos

 

Em dias mais frios, nosso instinto é “lacrar” a casa, para deixar tudo quentinho e mais confortável. É aí que seus problemas começam.

Espaços fechados são ótimos para a circulação de vírus e bactérias e para o desenvolvimento dos fungos.

Por isso, pela manhã ou no fim do dia, deixe as portas e janelas abertas, criando espaço para a circulação de ar em todos os cômodos.

 

5.      Use sílica ou produtos caseiros para absorver umidade

 

Usar um saquinho de sílica ou até um potinho com giz ou sal grosso é uma ótima forma de absorver a umidade nos armários da casa.

Você também pode usar uma bolinha de cedro, que além de resolver o problema da umidade, tem um cheirinho gostoso.

Coloque nas prateleiras, gavetas e onde achar necessário e troque de três em três meses. Se os produtos ficarem muito úmidos antes desse período e um sinal de que a umidade da casa está muito alta e precisa de atenção.

 

6.      Mantenha a casa sempre limpa

 

Capriche na rotina de limpeza. Uma casa limpa cria mais obstáculos para a proliferação de fungos, que usam a poeira como alimento.

Dê atenção especial ao banheiro e à cozinha, que apresentam mais chances de umidade e use água sanitária e vinagre para limpar e desinfetar os ambientes.

Uma casa limpa ajuda a deixar a família mais saudável o ano inteiro. Confira algumas dicas de arrumação para evitar alergias e outras doenças.

 

7.      Fique de olho em infiltrações e vazamentos

 

mofo infiltração

A umidade é um dos principais elementos responsáveis pela proliferação dos fungos, por isso, é bom ficar de olho nas paredes e no telhado.

A qualquer sinal de infiltração ou vazamento, providencie o conserto. Além do mofo, podem surgir outros problemas, como móveis e paredes danificadas.

 

8.      Evite deixar móveis encostados na parede

 

Quando for posicionar os móveis em sua casa, tome o cuidado de deixá-los sempre a 2 centímetros de distância das paredes.

Os móveis em contato direto com a parede podem ser mais facilmente afetados pelo bolor. Além disso, ainda atrapalham os donos da casa a verem o aparecimento de manchas, bolhas, infiltrações e vazamentos.

 

9.      Cuide bem de tapetes e carpetes

 

Mantenha o carpete e o tapete sempre limpos. O ideal é que eles fiquem em cômodos arejados e sejam higienizados com frequência.

Periodicamente, polvilhe bicarbonato de sódio e deixe agir durante a noite, para absorver a umidade. No dia seguinte, é só passar aspirador de pó. No caso dos tapetes, também é recomendado que fique no sol por até 48 horas, de tempos em tempos.

Se aparecer algum sinal de mofo, remova com vinagre. Mas se a mancha estiver muito grande, prefira contar com serviços profissionais, que vão fazer a limpeza da forma adequada e ainda deixar secar completamente – o que dificilmente a gente consegue fazer em casa.

 

10.  Verifique se a estrutura da casa é adequada para o clima da região

 

Por último e não menos importante, pense nas necessidades da casa para a região que você vive. Se você mora em um lugar de muita umidade, perto de vegetação e com um clima que propicie a formação de mofo, toda a estrutura deve receber impermeabilizante e ser construída de forma a evitar infiltrações.

Mas se a casa em que você mora não recebeu os cuidados necessários na construção, contrate um especialista e veja o que é possível fazer.

 

Dica bônus: contrate uma empresa de limpeza

 

Se não agirmos depressa, o mofo pode agir rapidamente e atingir roupas, sofás, carpetes e vários móveis.

A melhor forma de resolver isso, é contratar uma empresa especializada no assunto. Você vai resolver o problema sem qualquer dor-de-cabeça e com a certeza de um serviço bem-feito.

Na Dr. Lava Tudo, você conta com serviços profissionais de limpeza de sofá, que retiram o mofo e outras sujidades, entregando um produto com cara de novo e livre de microrganismos infecciosos.

Conheça o nosso portfólio e veja como deixar a sua casa sempre limpa!