Dicas de limpeza e organização

Veja os valores para sua cidade

Pelos: tudo sobre queda de pelos dos seus pets e como diminui-la

Publicado em: segunda-feira, fevereiro 26, 2018pelos de cachorro

Inscreva-se em nosso canal no YouTube


Quem tem cachorro e gato em casa certamente tem muitas alegrias no dia a dia, mas tem pelos espalhados na mesma proporção. Eles são animais carinhosos que literalmente fazem parte da família e estão por perto nos melhores momentos das nossas vidas. Mas eles também soltam pelos por onde passam, ou seja, no chão da casa toda, nos estofados, nos tapetes e até em cima dos móveis que eles nem encostam.

A verdade é que o pelo é extremamente leve e qualquer brisa pode levá-lo para todos os lugares da casa. E não é que podemos simplesmente impedir que eles caiam dos animais, não é mesmo? Bom, não exatamente. Existem formas de lidar com a queda de pelos e diminuir a dor de cabeça que eles causam dentro de casa.

Foi pensando nisso que preparamos o post de hoje. Leia esse texto até o final e veja agora como tirar essa preocupação da sua vida de uma vez por todas.

Os pelos dos animais e a saúde humana

A presença de cachorros e gatos em casa é extremamente benéfica para a família. Eles são carinhosos, participam das melhores memórias que temos, ensinam sobre responsabilidade para as crianças e definitivamente são amigos fiéis. Por esse motivo, muitas famílias têm seus animais entre seus membros mais queridos.

Entretanto, a presença de pelos na casa pode provocar crises alérgicas. É um fato conhecido que eles estão entre os alérgenos mais comuns, principalmente entre as crianças. Por isso, é importante conhecer as causas da queda dos pelos e trabalhar para que ela diminua.

Por que animais de estimação perdem pelos?

Antes de mais nada, é importante esclarecermos que a queda dos pelos dos animais de estimação é completamente normal. E funciona exatamente como nos humanos. O corpo elimina os pelos que estão velhos ou defeituosos para abrir espaço para que novos cresçam saudáveis.

O crescimento deles passa por quatro fases distintas: anágena, quando o novo pelo crescerá; catágena, quando ele para de crescer e a raiz ganha força; telógena, quando o pelo não cai e nem cresce, basicamente está em repouso; exógeno, quando os pelos caem e os folículos se preparam para entrar na fase anágena novamente.

Mas existem duas épocas específicas do ano nas quais os pelos dos cachorros e dos gatos caem mais que o normal. É durante a primavera e o outono que os corpos se preparam para a mudança de temperatura.

Durante o inverno, quando as temperaturas são mais baixas, o animal tem pelos mais curtos, grossos e próximos uns aos outros. Dessa forma, eles facilitam a formação de uma cama de ar, que atua como isolante térmico. Quando a primavera chega, o animal elimina essa pelagem para que ele consiga se refrescar durante o verão.

Os pelos de verão são mais longos, finos e distantes entre si. Isso acontece pelo motivo oposto da pelagem de inverno. Com essas características, eles dificultam a formação da camada de ar, e permitem que a pele do cachorro ou do gato fique fresca por mais tempo.

é possível diminuir a queda de pelos dos pets

 

Quais são as condições que aumentam a queda de pelos?

Tudo o que descrevemos no tópico anterior são situações normais de um animal saudável. Ou seja, queda e crescimento de novos pelos é natural. Entretanto, existem algumas condições que podem provocar a queda de pelos em velocidade e quantidade fora do normal.

A condição mais comum e que provoca a queda excessiva da pelagem é a presença de parasitas, como as pulgas. Isso acontece porque a picada dos insetos provoca reações na pele, que acabam por prejudicar os folículos. É o mesmo caso das infecções provocadas por fungos e bactérias cutâneos, e também as alergias alimentares.

Existem também os problemas nos fígados, rins, tireóide, doenças imunológicas e até o câncer na lista de condições que aumentam a queda da pelagem. Além disso, alguns medicamentos podem ter esse efeito colateral, assim como a gravidez.

Por fim, os pelos do animal podem cair devido a traumas cutâneos. Isto é, agressões à pele provocadas por queimaduras de sol, contato com substâncias agressivas à pele ou até o trauma induzido por lambidas e mordidas do próprio animal.

Com todas essas informações em mente, é muito importante que o dono do animal saiba observar o que é uma situação dentro da normalidade e o que precisa ser apurado com mais atenção. Portanto, se você está desconfiado de que os pelos estão caindo demais, primeiro preste atenção à mudança das estações do ano e no clima da sua cidade. Se não for o caso das quedas sazonais, cheque se você consegue identificar agressões à pele do cachorro ou gato. Independentemente de você ter encontrado ou não, leve o seu animal ao veterinário e use da ajuda profissional para cuidar da saúde do seu melhor amigo.

Raças de cachorro separadas por queda da pelagem

Quando pensamos em ter um cachorro em casa, muitos são os fatores levados em consideração. Desde o temperamento do bicho, passando pelas necessidades de saúde e até mesmo a frequência da queda dos pelos. Nesse sentido, existe um engano muito comum que é acreditar que apenas aqueles com a pelagem longa sofrem com a perda maior de pelos. A realidade é que existem muitas raças de pelagem curta que também têm trocas frequentes.

Nesse ponto, é importante ressaltarmos que essas categorizações são feitas com base na observação de grupos de cachorros separados por raças puras. Isto é, no caso dos animais sem raça definida, conhecidos popularmente como vira latas, não é possível prever a queda da pelagem nesses casos. Mas se você optou por resgatar um animal desses, a quantidade de pelos espalhados pela casa não importa tanto assim, não é verdade? O mais importante é oferecer qualidade de vida ao animal.  

Pensando nisso, preparamos uma lista com as 15 raças de cachorros que mais perdem pelos e também as 15 raças que perdem menos pelo para que você escolha o seu com conhecimento de causa.

Raças que soltam mais pelo

  • Golden Retriever
  • Pastor Alemão
  • Collie
  • Cão de Montanha dos Pirinéus
  • Pug
  • Shetland
  • Dalmata
  • Beagle
  • Labrador
  • Doberman
  • Rottweiler
  • Husky Siberiano
  • Welsh Corgi
  • Malamute do Alaska
  • Dachshund

Raças que soltam menos pelo

  • Cão de Água Português
  • Yorkshire Terrier
  • Welsh Terrier
  • Poodle
  • Maltês
  • Bichon Bolonhês
  • Affenpinscher
  • Pastor Bergamasco
  • Pastor Polonês da Planície
  • Pumi
  • Puli
  • Poodle Toy
  • Shih Tzu
  • Schnauzer Mini
  • Dandie Dinmont Terrier

Queda de pelos em gatos

Para os gatos, a história muda um pouco de figura. Isso porque todos eles soltam pelos pela casa e, portanto, eles não podem ser separados por raça, como os cachorros são. Entretanto, existem sim alguns deles que soltam menos pelos e que são ideais para quem quer ter uma preocupação a menos. Principalmente para as pessoas que têm alergias e que não vão abrir mão dos seus bichinhos por esse motivo.

Os gatos que soltam menos pelos são:

  • Gato Sphynx: é uma raça de felinos que praticamente não tem pelagem. Eles são protegidos por uma cama de pelos quase imperceptível. Na realidade, existem humanos mais peludos que esse animal. São dóceis  e convivem muito bem com crianças.
  • Cornish Rex: são animais com pelagem curta e encaracolada, o que é muito incomum entre os felinos. Eles são bastante colados à pele, por isso não caem tanto. Têm bastante energia e exigem atenção para brincadeiras e interações com a família.
  • Tonquinês: essa é uma raça de gatos que é famosa por ser muito carinhosa e não soltar muitos pelos em casa. O que os faz excelentes candidatos para o convívio com as crianças.
  • Devon Rex: o devon rex é um gato similar ao cornish rex, justamente pela presença de pelos encaracolados e a tendência a não perdê-los como as outras raças. A diferença aqui está na característica comum de todos eles que têm o corpo bastante magro e o excesso de pele.
  • Gato Siberiano: essa raça de gato pode ser uma surpresa para quem os conhece. Isso porque eles têm pelo longo, mas não o perdem muito. O motivo por trás disso está no fato de que essa pelagem é bastante oleosa e, portanto, não fica espalhada pela casa.

O que fazer para diminuir a queda de pelos em pets

Como dissemos, a queda dos pelos dos pets é natural a todos eles. Mas existem formas de diminuir a bagunça dentro de casa. Com alguns pequenos cuidados que refletirão na saúde do animal e na limpeza do seu lar.

Cuide da alimentação do seu pet

Existem alguns alimentos que podem favorecer a queda de pelos, sem necessariamente provocar doenças nos animais. O primeiro ponto aqui é garantir que eles recebam todos os nutrientes que precisam. A desnutrição, mesmo que leve, pode diminuir a força dos pelos e fazê-los cair mais que o normal.

Também é preciso avaliar a oferta de água, uma vez que a desidratação também pode contribuir para a queda de pelos. Alguns alimentos secos podem aumentar a necessidade diária de água do animal. Há ainda a presença de muitos corantes e compostos artificiais na ração dos pets que podem contribuir para a queda de pelos. Uma alimentação baseada em proteínas, por exemplo, é melhor para o animal que aquelas baseadas em carboidratos.

Elimine pulgas e verminoses

As parasitas, como pulgas e verminoses em geral, são muitas vezes as culpadas pela queda excessiva de pelos dos seus animais. Por isso, é importante protegê-los contra essas agressões. As pulgas provocam ferimentos na pele, mesmo quando são poucas. Entretanto, quando a infestação sai do controle, as feridas podem ficar extremamente graves e não apenas provocam o aumento da queda da pelagem, como também poder gerar infecções cutâneas. Mas independentemente da quantidade de pulgas, nós sabemos que elas provocam extrema coceira nos animais, o que por si só já traz danos à pele.

Já as verminoses atuam de forma diferente. Algumas delas podem surtir efeitos diretos na pele do animal, como manchas e dermatites. Inclusive, esse é um dos sintomas de que algo está errado dentro dos intestinos do pet e ele precisa de ajuda veterinária. Mas de forma geral, as verminoses também podem provocar desnutrição e desidratação, o que aumenta a queda de pelos, como já sabemos.

Dê banhos e escove os pelos na frequência correta

Os banhos são parte muito importante da higiene dos animais. Eles servem para limpar os pelos e também a pele deles. Isso porque, assim como os humanos, a pele dos cachorros e gatos produz óleos que a protegem da desidratação. Essa gordura também os ajuda a manter a temperatura do corpo. Entretanto, o acúmulo excessivo, junto com o calor entre os pelos e a umidade, são o cenário ideal para que bactérias se proliferem e criem colônias na pele dos animais.

Sob o ponto de vista dos gatos, banhos são momentos de puro terror. Além não gostarem de água, eles mesmos se dão banhos com frequência. Eles se lambem para fazer a limpeza da pelagem. E é por isso que muitos deles acabam engasgando com bolas de pelos. Também por esse motivo, os banhos dos gatos só devem acontecer em caso de sujeira extrema. Ou seja, se eles se sujarem de barro, se a lata de molho de tomate cair sobre eles, ou se eles brincarem com substâncias na garagem, por exemplo.

Já para os cachorros, mesmo se eles não gostarem da ideia, o banho deve acontecer dentro de uma certa regularidade para evitar as infecções cutâneas. Para os cachorros de pelo longo, a frequência ideal é uma vez por semana no verão, e a cada 15 dias no inverno. Para cachorros de pelo curto, durante os dias quentes, podem ser lavados a cada 15 dias, e uma vez ao mês durante os dias frios. Em todos os casos, é importante que sejam usados xampús adequados para o animal.

Os pelos dos animais caem todos os dias, assim como dos humanos. Por isso, escová-los todos os dias ajuda a retirar aqueles que já estão soltos e que cairiam no chão da sua casa. Eles ficarão presos à escova e poderão ser descartados corretamente no lixo.

A queda de pelos dos pet é algo normal. Entretanto, em alguns casos, ela pode ser excessiva e um indicativo de que algo está errado com a saúde do animal. Por isso, fique atento e procure ajuda de um veterinário sempre que necessário.