Dicas de limpeza e organização

Veja os valores para sua cidade

Umidade baixa do ar: cuidados necessários com a saúde

Publicado em: terça-feira, dezembro 12, 2017umidade

Inscreva-se em nosso canal no YouTube


Na maioria dos lugares, a estação mais quente costuma ser úmida, com um grande volume de chuvas, já o inverno é bastante seco, com pouca umidade relativa, a tal ponto que até prejudica as lavouras e a saúde da população.

São nesses momentos de estiagem que nós mais sofremos. Isso porque umidade baixa do ar requer alguns cuidados específicos. Mas não se preocupe, estamos aqui para te ajudar a passar por esse momento sem dores de cabeça. Leia esse texto até o final e entenda quais medidas você pode tomar.

 

Quando a umidade relativa do ar é considerada muito baixa?

 

A umidade relativa do ar é um dado que mostra quantas partículas de água existem no ar que respiramos a cada momento. Essa escala vai de 0 a 100%, e embora nós possamos pensar dessa forma, o valor mais alto não significa exatamente que está chovendo.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o número ideal está em torno dos 60%. Para ligar o sinal de alerta, os índices devem mostrar entre 30% e 20% de umidade relativa do ar. Quando eles estão abaixo disso, o estado é de total emergência.

 

Quais são as consequências da baixa umidade para a saúde?

 

Existe um motivo por trás das recomendações da OMS e eles são os problemas de saúde que a baixa umidade do ar podem trazer. Mesmo sem sabermos o número exato, nossos corpos mandam sinais claros de que falta água no ar.

As principais consequências do tempo seco são o ressecamento dos olhos, nariz e boca. Por esse motivo, frequentemente os sentimos ardendo e incomodando bastante.

Nesse estado, o nosso corpo se torna perfeito para a instalação de bactérias e vírus, ou até mesmo a piora de doenças respiratórias. Principalmente as infecções de vias aéreas, como pneumonias, asma, sinusites e rinites.

Um ponto muito importante aqui é o fato de que as crianças tendem a sofrer mais que os adultos nessas condições. Portanto, mantenha a atenção redobrada com elas.

  

Como cuidar da saúde da família nessas situações?

 

Embora não consigamos mudar a umidade do ar em geral, existem algumas medidas que podemos fazer para melhorar a qualidade dele dentro de casa.

O primeiro ponto e talvez um dos mais importantes é manter a limpeza da casa em dia, principalmente se alguém da sua família for alérgico. O acúmulo de poeira pode desencadear uma crise alérgica facilmente.

Os umidificadores de ambientes também são excelentes alternativas para melhorar a qualidade do ar dentro de casa. Mas, se você não pode comprar e instalar um desses, ajuda muito deixar bacias de cheias de águas nos cômodos da casa. Especialmente nos quartos durante a noite, quando passamos tantas horas sem ingerir nenhum líquido.

O próximo ponto importante para cuidar da saúde da família em épocas de seca é referente aos cuidados pessoais. É fundamental que durante esses períodos a ingestão de água e líquidos sem açúcar aumente.

O corpo precisa de hidratação por dentro e por fora, o que significa que também é importante usar cremes hidratantes na pele e evitar banhos muito quentes, que possam ressecá-la.

 

Umidade

Ingerir bastante água é fundamental para driblar a baixa umidade do ar

 

Como a alimentação e prática de exercícios físicos podem ajudar?

 

Como dissemos, beber bastante água é fundamental para ajudar o corpo a passar por momentos de baixa umidade do ar, mas não é somente isso. Em épocas assim, é importante fazer escolhas inteligentes ao montar o seu prato.

Verduras, legumes e frutas suculentas são de grande ajuda para o organismo. Eles são de fácil digestão, o que deixa a água que você ingeriu livre para alimentar outras partes do corpo.

Pelo mesmo motivo, é importante reduzir a quantidade de alimentos processados, com excesso de sal ou açúcar em sua fórmula. Todos eles provocam a desidratação do corpo e essa é a última coisa que você precisa quando o tempo já está seco.

Por fim, a prática de exercícios físicos não precisa ser interrompida, mas é interessante mantê-la nos horários mais frescos do dia.

Por exemplo, antes das dez da manhã e depois das 19h. Isso porque em horários muito quentes, você perderá mais líquido por meio do suor e, consequentemente, terá que ingerir muito mais água para se sentir bem.

A baixa umidade do ar pode prejudicar a saúde de formas bastante incômodas. Desde a ardência e ressecamento dos olhos, nariz e boca, até a piora de doenças respiratórias. O mais importante é se hidratar bastante e manter a casa sempre limpa para evitar o surgimento de crises alérgicas.